WhatsApp
Hentai: O Erotismo nos Mangás - PARTE I

Hentai: O Erotismo nos Mangás - PARTE I

O que vem a sua mente quando lê o termo “Hentai”? Existem muitos nomes quando se quer falar sobre erotismo no ramo de publicações japonesas: Ero, Ecchi, Hentai, Shunga. E se você acha que é tudo a mesma coisa, ou não conhece algum destes termos, vamos olhar a história do Japão para entender como isso começou.

Começando do começo, vamos citar brevemente o Shunga, que é o nome dado à arte erótica japonesa produzida desde o Período Heian (794 - 1185), a qual aumentou sua qualidade graças a técnicas de xilogravura que aperfeiçoaram ao longo do tempo e mais tarde no Período Edo (1603 – 1868) alcançam popularidade apesar das diversas tentativas de repressão exercida pelos xoguns. A principal delas foi um decreto emitido pelo xogunato Tokugawa em 1661, proibindo, entre outras coisas um tipo de livro erótico conhecido como koshokubon (?? ?) (literalmente "livros de indecência"). Enquanto outros gêneros também prejudicados pelo decreto foram levados à clandestinidade, o Shunga continuou a ser produzido com pouca dificuldade. Mas sua popularidade decaiu no final do século XIX com a chegada das fotos eróticas (estilo playboy) ao Japão.

Devido à influência das tais fotografias, a arte do mangá retratava inicialmente personagens de forma mais realistas. Posteriormente, as obras de Osamu Tezuka definem a forma moderna de retratar personagens nos mangás e o estilo se expande para obras mais direcionadas à adultos. Esta, no entanto, só começou a ser uma categoria dos quadrinhos de fato a partir da década de 1940.

A distinta transformação no estilo dos quadrinhos eróticos japoneses de personagens realistas para personagens "fofos" é creditado ao mangaka Azuma Hideo, conhecido como "O Pai de Lolicon". Em 1979, Hideo escreveu Cybele, obra que ofereceu a primeira amostra de personagens menos realistas em atos sexuais de modo a incentivar o movimento criação de obras pornográficas neste estilo. O “Pai do Lolicon” tem este título inspirado no livro "Lolita", do autor russo Vladimir Nabokov, que aborda a obsessão de um homem adulto por uma pré-adolescente. O termo passou a ser utilizado em diversas obras de caráter erótico durante a sua expansão nos anos 80.

Certo, mas quando passaram a usar o termo “hentai” para definir mangás eróticos? O termo na verdade tem sua origem na psicologia. No meio do Período Meiji, ele apareceu em publicações para descrever traços sexuais incomuns ou anormais, incluindo habilidades paranormais e distúrbios psicológicos. Uma tradução do texto do sexólogo alemão Richard von Krafft-Ebing, Psychopathia Sexualis iniciou o debate sobre o conceito de "hentai seiyoku", entendido como "desejo sexual perverso ou anormal" e depois foi popularizado por meios fora da psicologia, como no caso da obra literária de Mori Ogai, de 1909, Vita Sexualis.

O crescente interesse sobre hentai seiyoku resultou em várias revistas e publicações sobre orientações sexuais que circulavam no público colocando sempre a conotação sexual de -hentai- como perversa/indecente/depravado etc. Qualquer ato perverso ou anormal poderia ser chamado de hentai até cometer shinju (suicídio por amor - ex: Romeu e Julieta). Aqui é importante destacar que a sexualidade nunca foi um tabu velado na cultura japonesa, inclusive práticas que envolvem fetiches, necrofilia, sadomasoquismo foram abordados como parte da vida moderna no artigo Psicologia Anormal e posteriormente na revista Sexualidade Moderna do autor Nakamura Kokyo, gerando a popularização dos estudos de sexologia no país. Porém, após a Segunda Guerra Mundial e a ocupação norte americana, o termo Hentai foi reduzido a "H" (lê-se etchi - pronúncia da letra em inglês) e perdeu qualquer referência a conotações mais fortes de perversão, deixando essa a cargo da categoria Hentai, a qual incluía homossexualidade e fetiches como assuntos anormais. Na década de 1960, o conteúdo homossexual foi descartado em favor de assuntos como sadomasoquismo e histórias de lesbianidade direcionadas a leitores do sexo masculino.

Deu para entender a diferença entre Shunga, Hentai e Ecchi?

Ok...Então a categoria explodiu nos anos 1990, foi subdividida após o contato com a cultura norte-americana, e todos os japoneses começaram a consumir e ganhar dinheiro exportando esse material para editoras internacionais e fim, certo? Não! Leia sobre a censura no Japão e como as publicações tentaram burlar isso a nível internacional aqui.

403 produtos encontrados
Filtros
Departamento
Categoria
Marca
Faixa de Preço
Filtros
Departamento
Categoria
Marca
Faixa de Preço