WhatsApp
O quadrinhos eróticos de Guido Crepax lançados no Brasil

O quadrinhos eróticos de Guido Crepax lançados no Brasil

Guido Crepax foi um ilustrador e autor de histórias em quadrinhos nascido 15 de julho de 1933, em Milão, na Itália. Falecido em 2003, o artista foi um dos principais nomes dos quadrinhos eróticos no mundo, sendo celebrado principalmente pela sua personagem Valentina, criada em 1965.

Quais as principais obras de Guido Crepax lançadas no Brasil? A Rika te conta abaixo:

- Grilo

A primeira aparição dos quadrinhos de Guido Crepax em terras brasileiras se deu através da revista Grilo, mais especificamente na edição de n° 7. “Valentina chegou”, dizia a chama da capa da edição.

Várias histórias da personagem foram publicados na Grilo, revista que durou de 1971 até 1972, com 48 edições publicadas. Guido Crepax, Robert Crumb e Charles M. Schulz são apenas alguns dos gigantes que foram lançados no Brasil pela revista.

- Almanaque do Gibi Atualidade (RGE)

Em contrataponto ao Almanaque Nostalgia, publicação da RGE que marcou época, a editora lançou uma edição solitária do Almanaque do Gibi Atualidade. Lançada em 1976, o material trouxe, pela primeira vez no Brasil, uma história do Corto Maltese, de Hugo Pratt. Valentina, de Guido Crepax, também fez parte da publicação com a história A Curva do Lesmo, primeira em que a personagem aparece. Na trama, uma gangue internacional planeja assassinatos milionário ao redor do mundo.

- Anita - Uma História Possível (L&PM)

Lançada primeiramente em edição única em 1981 pela L&PM, Anita - Uma História Possível foi republicada no ano seguinte como o primeiro volume da Coleção Clássicos do Erotismo.

Inspirada na atriz sueca Anita Ekberg, a personagem é protagonista desta história na qual se relaciona sexualmente com uma TV. A obra é uma crítica sobre a influência da mídia na sociedade. Outra história da personagem publica por aqui foi Anita Ao Vivo, em 1990, pela L&PM.

- A Vênus das Peles (Martins Fontes)

Publicada pela editora Martins Fontes em 1986, A Vênus das Peles é uma adaptação feita por Guido Crepax da obra homônima e mais conhecida de Leopold von Sacher-Masoch. O traço elegante de Crepax deu vida aos personagens Severin e Wanda, que possuem um relacionamento baseado no masoquismo, termo originado do nome do autor da obra.

- Emmanuelle (Martins Fontes e Pixel Media)

Emmanuelle, baseado no livro erótico da romancista francesa Emmanuelle Arsan, é uma obra em que Crepax extrapola a história já existente, inclusive apresentando novos personagens. A trama mostra uma engenheira francesa que está viajando para encontrar seu marido em Bangkok e tem relações sexuais com homens no avião.

O quadrinho foi lançado pela Martins Fontes, em 1987, e relançado pela Pixel Media, em 2008.

- Justine (Martins Fontes e Pixel Media)

Baseado na obra de Donatien Alphonse François de Sade, o Marquês de Sade, Justine possui uma trama com muito sexo e perversidade. A protagonista, ingênua defensora do bem, sofre ao ser envolvida em crimes e depravações.

A HQ foi lançado pela Martins Fontes, em 1987, e relançada pela Pixel Media, em 2007.

- A História de O (L&PM)

Em A História de O, Guido Crepax adapta a obra homônima de Pauline Réage, pseudônimo da escritora francesa Anne Cécile Desclos. A história apresenta uma personagem chamado apenas de “O”, que é levada por seu amante para um castelo onde é submetida a práticas de dominação.

A história em quadrinhos foi lançado pela L&PM, em 1988, e republicado pela editora em 2013.

- “Pensionato de Moças” e “A Casa de Loucuras” (L&PM)

Assim como Valentina e Anita, outra personagem feminina importante criada por Guido Crepax é Bianca. No Brasil, a L&PM publicou os quadrinhos Pensionato de Moças e A Casa de Loucuras, ambos em 1989.

- Dr. Jekyll e Mr. Hyde (Martins Fontes)

Guido Crepax adaptou o clássico da literatura Dr. Jekyll e Mr. Hyde, publicado originalmente em 1886, escrito por Robert Louis Stevenson. Na história, o advogado Gabriel John Utterson investiga estranhas ocorrências entre seu amigo, Dr. Henry Jekyll, e o malvado Edward Hyde.

A Martins Fontes publicou o quadrinho em 1989.

- Conde Drácula (Martins Fontes)

Criado pelo escritor irlandês Bram Stoquer em 1893, O Conde Drácula ganhou uma adaptação nas mãos do italiano Guido Crepax, lançada no Brasil em 1989 pela Martins Fontes.

Crepax equilibrou a trama original com uma veia autoral, colocando na obra a personalidade do seu traço e apresentando um Drácula aterrorizante e uma narrativa recheada de sensualidade.

- Valentina (L&PM)

Inspirada na atriz Louise Brooks, Valentina é a personagem mais conhecida do italiano Guido Crepax. Ela estreou como coadjuvante de uma história policial, mas sua popularidade foi tamanha que logo virou protagonista e fez com que o autor passasse a produzir mais histórias eróticas.

No Brasil, além da revista Grilo, algumas das editoras que publicaram história da Valentina foram a Círculo do Livro, em 1994, com o álbum Valentina de Botas, e a Conrad, em 2006 e 2007, com os álbuns Valentina 65-66 e Valentina 66-68.

Porém, a editora que mais publicou as histórias da icônica personagem foi a L&PM. Em 1982, era lançado no Brasil o álbum Valentina, que trazia as histórias Os Subterrâneos e Valentina perdida no país dos sovietes. Posteriormente, foram lançados álbuns como Valentina de Botas (1988), Bebê de Valentina (1988), Valentina Assassina? (1989), Valentina no Metrô (1991). A L&PM também manteve esses materiais em catálogo, relançando as histórias em álbuns como Valentina: Biografia de uma personagem (2014) e Valentina - Os Subterrâneos (2018).

Quer saber mais sobre Guido Crepax e outros autores de quadrinhos eróticos? A Rika conversou com o jornalista, escritor e pesquisador Gonçalo Junior sobre o tema. Assista ao papo abaixo:

..

50 produtos encontrados
Filtros
Departamento
Categoria
Subcategoria
Marca
Faixa de Preço
Filtros
Departamento
Categoria
Subcategoria
Marca
Faixa de Preço